The Affirmation of a Hegemony 1945–1970

  • Hugo Segawa
Chapter

Abstract

In the domestic sphere, the international repercussion of Brazilian architecture represented a legitimation and a social recognition that were novel to a professional category and practice.

Keywords

Migration Europe Manganese Coherence Assure 

References

  1. ——. 1984. Flávio de Carvalho e a Volúpia da Forma. São Paulo, Indústria Freios Knorr/MWM Motores.Google Scholar
  2. SILVA, Geraldo Gomes da. 1988. “Marcos da Arquitetura Moderna em Pernambuco”. In: SEGAWA, Hugo (ed.). Arquiteturas no Brasil/Anos 80. São Paulo, Projeto, pp. 19-27.Google Scholar
  3. ——. 1988a. “A Arquitetura Moderna e o Desenho Industrial: Entrevista de Carmen Portinho a Hugo Segawa”. Projeto, São Paulo, (111): 115-120, jun.Google Scholar
  4. XAVIER, Alberto (org.). 1987. Arquitetura Moderna Brasileira: Depoimento de uma Geração. São Paulo, Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura/Fundação Vilanova Artigas/Pini.Google Scholar
  5. ARTIGAS, João Batista Vilanova. 1981. Caminhos da Arquitetura. São Paulo, LECH.Google Scholar
  6. ——. 1981. Dos Murais de Portinari aos Espaços de Brasília. São Paulo, Perspectiva.Google Scholar
  7. AMARAL, Aracy. 1983. Arte e Meio Artístico: Entre a Feijoada e o X-burger (1961-1981). São Paulo, Nobel.Google Scholar
  8. ARTIGAS, João Batista Vilanova. 1977. “Contribuição para o Relatório sobre Ensino de Arquitetura UIA – Unesco”. 1974. In: SOBRE a História do Ensino de Arquitetura no Brasil. São Paulo, Associação Brasileira de Escolas de Arquitetura. pp. 31–38.Google Scholar
  9. DELFIM Amorim Arquiteto. 1981. Recife, Instituto de Arquitetos do Brasil/Departamento Pernambuco.Google Scholar
  10. FERRAZ, Marcelo Carvalho (coord.). 1993. Lina Bo Bardi. São Paulo, Instituto Lina Bo e P. M. Bardi.Google Scholar
  11. ——. 1980. “Arquitetura Nova”. In: ARTE em Revista. Arquitetura Nova. São Paulo, Centro de Estudos de Arte Contemporânea, (4): 89–94, ago.Google Scholar
  12. ——. 1980a. “Reflexões para uma Política na Arquitetura”. In: ARTE em Revista. São Paulo, Centro de Estudos de Arte Contemporânea, (4): 95–99, ago.Google Scholar
  13. GATTI, Catharine. 1987. “Perfil de Arquiteto - Franz Heep”. Projeto, São Paulo, (97): 97–104, mar.Google Scholar
  14. KOPP, Anatole. 1990. Quando o Moderno não era um Estilo e sim uma Causa. São Paulo, Nobel/Edusp.Google Scholar
  15. MARCHÁN FIZ, Simó. 1974. La Arquitectura del Siglo XX. Madrid, Alberto Corazó.Google Scholar
  16. MORALES DE LOS RIOS FILHO, Adolfo. 1964. “O Ensino Artístico. Quinta Parte: Época de Transformação (a Partir de 1930)”. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, São Paulo, vol. 265, pp. 3–152, out./dez.Google Scholar
  17. MOTTA, Flávio Lichtenfels. 1975. “Desenho e Emancipação”. In: SOBRE Desenho. São Paulo, Centro de Estudos Brasileiros do Grêmio da FAU-USP, pp. 27–33.Google Scholar
  18. NIEMEYER, Oscar. 1958. “Depoimento”. Módulo, Rio de Janeiro, 2 (9): 3–6, fev.Google Scholar
  19. ——. 1960. “Forma e Função da Arquitetura”. Módulo, Rio de Janeiro, 4 (21): 3–7, dez.Google Scholar
  20. PROJETO. LINA BO BARDI 1992. São Paulo, Projeto, (149), jan/fev.Google Scholar
  21. REIS, Francisco Assis; ALBAN, Naia & NERY, Pedro. 1995. Diógenes Rebouças: Um Homem e suas Circunstâncias. AU Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, (58): 55–63, fev./mar.Google Scholar
  22. ROCHA, Angela Maria. 1991. Uma Produção do Espaço em São Paulo: Giancarlo Palanti. São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (dissertação de Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas).Google Scholar
  23. RUSSO, Mario. 1956. A Tradução Arquitetônica da Célula Habitativa: Sua Evolução e Previsões Lógicas. São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (tese apresentada ao concurso de Cátedra).Google Scholar
  24. SEGAWA, Hugo. 1982. “Bernard Rudofsky e a Arquitetura sem Arquitetos (ou: um Velho Conhecido dos Brasileiros)”. Projeto, São Paulo, (45): 20–21, nov.Google Scholar
  25. ——. 1983. “Bernard Rudosfky, ainda”. Projeto, São Paulo, (51). 26, mai.Google Scholar
  26. ——. 1990. “Hélio Duarte (1906-1989), Moderno e Peregrino”. Projeto, São Paulo, (131): 51, abr./maio.Google Scholar
  27. ——. 1990a. “Dossiê Interior”. Projeto, São Paulo, (135): 49–78, out.Google Scholar
  28. ——. 1992. “Um Malcomportado Aluno do Racionalismo”. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, (32): 209–224, mar.Google Scholar
  29. SEGAWA, Hugo & DOURADO, Guilherme Mazza. 1997. Oswaldo Arthur Bratke. São Paulo, ProEditores.Google Scholar
  30. WHITE City of Tel Aviv: an Open-Air Museum of the International Style (The). 1994. Tel Aviv (catálogo).Google Scholar
  31. ——. 1986. “Pioneiro da Arquitetura Moderna no Paraná”. Projeto, São Paulo, (89): 40–46, jul.Google Scholar
  32. ZUCCONI, Guido. 1992. Daniele Calabi Architetture e Progetti 1932-1964. Venezia, Marsilio.Google Scholar
  33. ——. 1986a. “Um Arquiteto Brasileiro: Severiano Mário Porto”. Projeto, São Paulo, (83): 44–86, jan.Google Scholar

Copyright information

© Springer Science+Business Media, LLC 2013

Authors and Affiliations

  • Hugo Segawa
    • 1
  1. 1.Architecture and Urbanism SchoolUniversity of São PauloSão PauloBrazil

Personalised recommendations