Advertisement

Portugal

  • Franz Rothenbacher
Chapter
Part of the The Societies of Europe book series (SOEU)

Abstract

Portugal lies in the south-west corner of the European continent on its most extreme periphery. The country is nearly rectangular and has today a total area of 92,389 square kilometres, occupying about 20% of the Iberian Peninsula. The country is bordered by the Atlantic, which has for centuries shaped its orientation towards Africa, Asia, and South America. Portugal’s geopolitical situation made it difficult to maintain independence from Spain in its endeavour to unite the Iberian Peninsula. Thus, only after major struggles was Portugal able to become an independent nation in 1640 with the assistance of its ally England. Portugal is thus one of the oldest nation-states in Europe, dating in principle back to 1179 (except for the Spanish interlude lasting from 1580 to 1640); in addition, its territory has remained unchanged since the Middle Ages. The occupation by the Romans brought with it language and later Christianity, which was preserved during Islamic domination. This laid the basis for a rather high socio-cultural homogeneity.

Keywords

Nineteenth Century Infant Mortality Western European Country Crude Birth Rate European Average 
These keywords were added by machine and not by the authors. This process is experimental and the keywords may be updated as the learning algorithm improves.

Preview

Unable to display preview. Download preview PDF.

Unable to display preview. Download preview PDF.

Bibliography

Portugal 1. Vital statistics

  1. Institute Nacional de Estatística (INE) (1-, 1875—), Anuário Estatístico de Portugal. Lisbon: INE (Continues the ‘Annuário Estatístico …’)Google Scholar
  2. —— (INE) (1-, 1862-), Estatísticas Demográficas. Lisbon: Instituto Nacional de Estatística (INE).Google Scholar
  3. Ministerio das Obras Publicas, Commercio e Industria. Repartação de Estatistica (1-, 1875-), Annuário Estatístico do Reino de Portugal. (Ed. and title changed: Annuário Estatístico de Portugal). Lisbon: publisher varies.Google Scholar

2. Population structure by age, sex, and marital status

  1. 1864.
    No editor given (1868), Estatistica de Portugal. População. Censo no 1.° de Janeiro 1864. Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 305f.Google Scholar
  2. 1878.
    No editor given (1881), Estatistica de Portugal. População. Censo no 1.° de Janeiro 1878. Lisbon: Imprensa Nacional, p. 427.Google Scholar
  3. 1890.
    Portugal. Ministerio da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1900), Censo da População do Reino de Portugal no 1.° de Dezembro de 1890. Volume II: População de Facto Agrupada Segunda as Idades, Distinguindo o Sexo, o Estado Civil e a Instrucção Elementar. Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 2f.Google Scholar
  4. 1900.
    Portugal. Ministerio dos Negocios da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1906), Censo da População do Reino de Portugal no 1.° de Dezembro de 1900 (Quarto recenseamento geral da população). Volume II: População de Facto Agrupada Segunda as Idades, Distinguindo o Sexo, o Estado Civil e a Instrucção Elementar. População Segundo a Religião. Lisbon: Typographia da ‘A Editora’, pp. 2f.Google Scholar
  5. 1911.
    Portugal. Ministerio das Finanças. Direcção Geral da Estatística — 4.° Reparticão (1913), Estatística Demográfica. Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1911 (5.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1911). Parte II: População de Facto Agrupada por Idades, Distinguindo Sexo, Estado Civil e Instrução. Quadros comparativos. (Population dé fait d’après les âges, en distinguant le sexe, l’état civil et l’instruction. Tableax comparatifs). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 4f.Google Scholar
  6. 1920.
    República Portuguesa. Ministério das Finanças. Direcção Geral da Estatística (1925), Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1920 (6.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1920). Volume II: População de Facto Agrupada por Idades, Distinguindo Sexo, Estado Civil e Instrução. (Population dé fait d’après les âges, en distinguant le sexe, l’état civil et l’instruction). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 2f.Google Scholar
  7. 1930.
    República Portuguesa. Direcção Geral da Estatística (1934), Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1930 (7.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1930). Volume II: População de Facto Agrupada por Idades, Distinguindo Sexo, Estado Civil e Instrução. (Population de fait d’après les âges, en distinguant le sexe, l’état civil et l’instruction). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 4f.Google Scholar
  8. 1940.
    Portugal. Instituto Nacional de Estatistica (1945), VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 Dezembro de 1940. Volume I: Portugal (Continente e Ilhas Adjacentes). Lisbon: Imprensa Nacional de Lisbon, pp. 65–75.Google Scholar
  9. 1950.
    Portugal. Instituto Nacional de Estatistica (1952), IX Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 15 de Dezembro de 1950. Tomo II: Idade e Instrução. Lisbon: Tipografia Portuguesa, LDA., pp. 11–3.Google Scholar

3. Population census results on households and families

  1. 1864.
    No editor given (1868), Estatistica de Portugal. População. Censo no 1.° de Janeiro 1864. Lisbon: Imprensa Nacional, pp. VII, XII–XIII (text), 305 (table).Google Scholar
  2. 1878.
    No editor given (1881), Estatistica de Portugal. População. Censo no 1.° de Janeiro 1878. Lisbon: Imprensa Nacional, pp. VIII–X, XVII–XVIII (text), 427 (table).Google Scholar
  3. 1890.
    Portugal. Ministerio da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1896), Censo da População do Reino de Portugal no 1.° de Dezembro de 1890. Volume I: Fogos — População de Residencia Habituai e População de Facto; Sexo, Naturalidade, Estado civil e Instrucção (Feux — Population de sejour habituel et population de fait; sexe, naturalité, état civil et instruction). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. CI–CII (text retrospective household statistics 1835–90), 2–27 and 43–272 (tables).Google Scholar
  4. Portugal. Ministerio da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1900), Volume III: População de Facto, Classificada Segundo as Grandes Divisões profissionais por Sexos e grupos de idades; numero e composicão das familias. Lisbon: Imprensa Nacional, parte IV, pp. 241–50 (tables).Google Scholar
  5. 1900.
    Portugal. Ministerio dos Negocios da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1905), Censo da População do Reino de Portugal no 1.° de Dezembro de 1900 (Quarto recenseamento geral da população). Volume I: Fogos. População de Residencia Habitual e População de Facto, Distinguindo o Sexo, Natur alidade, Estado Civil e Instrução Elementar. Lisbon, Quadro I–4, pp. 2–29.Google Scholar
  6. Portugal. Ministerio dos Negocios da Fazenda. Direcção Geral da Estatistica e dos Proprios Nacionaes (1906), Volume III: População de Facto, Classiflcada Segundo as Grandes Divisões profissionais por Sexos e grupos de idades; cegos, surdos-mudos, idiotas e alienados; numero e composicão das familias. Lisbon: Imprensa Nacional, parte IV, pp. 195–202.Google Scholar
  7. 1911.
    Portugal. Ministerio das Finanças. Direcção Geral da Estatistica — 4.° Reparticão (1913), Estatistica Demográfica. Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1911 (5.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1911). Parte I: Fogos. População de Residencia Habituai e População de Facto, Distinguindo Sexo, Nacionalidade, Naturalidade, Estado Civil e Instrução. Lisbon: Imprensa Nacional, pp. IX–XI (text on households 1890–1911), 4–285, 317–26 and 348–9 (tables).Google Scholar
  8. Portugal. Ministerio das Finanças. Direcção Geral da Estatística — 4.° Reparticão (1917), Estatística Demográfica. Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1911 (5.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1911). Parte VI: Censo das Povoações. Fogos. População de Facto Clasificada por ‘Distritos’, ‘Concelhos’, Freguesias’ e Povoações. (Recensement des Peuplades. Ménages. Population dé fait classifiée par ‘distritos’, ‘concelhos’, ‘freguesias’ et peuplades). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 4–378 (tables).Google Scholar
  9. 1920.
    República Portuguesa. Ministério das Finanças. Direcção Geral da Estatística (1923), Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1920 (6.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1920). Volume I: Fogos. População de Residencia Habituai e População de Facto, Distinguindo Sexo, Nacionalidade, Naturalidade, Estado Civil e Instrução. (Ménages. Population résidente et population dé fait, d’après le sexe, la nationalité, le lieu de naissance, l’état civil et l’instruction). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 2–223 (tables) and 251–7 (tables on households by size).Google Scholar
  10. 1930.
    República Portuguesa. Direcção Geral da Estatística (1933), Censo da População de Portugal no 1.° de Dezembro de 1930 (7.° recenseamento geral da população). (Recensement de la Population de Portugal au 1er Décembre 1930). Volume I: Famílias. População de Residència Habituai e População de Facto, Distinguindo Sexo, Nacionalidade, Naturalidade, Estado Civil e Instrução. (Ménages. Population résidente et population de fait, d’après le sexe, la nationalité, le lieu de naissance, l’état civil et l’instruction). Lisbon: Imprensa Nacional, pp. 4–235 (tables).Google Scholar
  11. 1940.
    Portugal. Instituto Nacional de Estatistica (1942), VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 Dezembro de 1940. Resultados provisórios nos distritos, concelhos e freguesias do continente e ilhas relativos ao número de familias e à população presente por sexos. Lisbon: Imprensa Nacional de Lisboa, pp. 5–61 (tables).Google Scholar
  12. Portugal. Instituto Nacional de Estatística (1945), VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 Dezembro de 1940. Volume I: Portugal (Continente e Ilhas Adjacentes). Lisbon: Imprensa Nacional de Lisboa, pp. XIV–XV (text in Portuguese), 2–25 (tables on households), 28–35 (tables on couples with children), pp. 488–9 (text in French).Google Scholar
  13. 1950.
    Portugal. Instituto Nacional de Estatística (1952), IX Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 15 de Dezembro de 1950. Tomo I: População Residente e Presente, Familias, Casais, Mulheres Casadas, Convivências, Estrangeiros, Cegos, Surdos-mudos e Órfãos. Lisbon: Tipografia Portuguesa, LDA., pp. 14–5 (comparative table of census contents 1864–1950); 18–303 (households); 304–541 (married couples and unmarried women by number of children); 542–75 (institutional households).Google Scholar
  14. 1835–90.
    See 1890 in this table.Google Scholar
  15. 1940–60.
    Portugal. Instituto Nacional de Estatística (1964), X Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes (As 0 horas de 15 de Dezembro de 1960). Tomo I Volume 1. Prédios e Fogos: População — Dados Retrospectivos (Distritos, Concelhos e Freguesias). Tome I Volume Ier. Immeubles et Feux; Population — Données Rétrospectives (Districts, ‘Concelhos’ et Freguesias’). Lisbon, pp. 3–10 (table).Google Scholar
  16. Portugal. Instituto Nacional de Estatística (1964), X Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes (As 0 hor as de 15 de Dezembro de 1960). Tomo I Volume 2.° Prédios e Fogos: População — Dados Retrospectivos (Lugares). Tome I Volume 2.ème. Immeubles et Feux; Population — Données Rétrospectives (Hameaux). Lisbon, pp. 3–613 (table).Google Scholar

Copyright information

© Franz Rothenbacher 2002

Authors and Affiliations

  • Franz Rothenbacher

There are no affiliations available

Personalised recommendations