Advertisement

The School as a Development Context: An Ecological Study in a Riverine Community on the Marajó Island

  • Leila Said Assef Mendes
  • Fernando Augusto Ramos Pontes
Chapter

Abstract

This chapter focuses on the school of a riverine community, aiming to analyze it as a context for the development of children and adolescents living there, in view of their interactions with their contexts, from their perspective, their parents and teacher. Taking into account a theoretical–methodological perspective in line with the principles of the Bioecological Approach to Human Development (TBDH), this study reports a research that used the Ecological Insertion method, which privileges the insertion of researchers in the research environment, with the objective of evaluating the processes of interaction of people with the context in which they are developing. The research evidenced the link between almost all the systems involved that could limit or foster the development of children and adolescents attending school. The analysis started from the school microsystem, considering as a mesosystem, the school–family relationship and as an exosystem, the school–city relationship. A teacher and two classes participated in this study. Data were collected through inventories, interviews, observations, and field notes. In general, particularities of the physical and social environment of the school were verified, as well as possible factors involved in the proximal processes and the characteristics of the people involved. We analyzed the routines of three families with children in school; parents’ conceptions about education, their idealizations for the future of their children, and aspects of family organization that might be interfering with their children’s involvement in school. The data showed that routine activities interfered with the frequency of children in school, constituting reasons for absences and school dropouts; and the development raised by the subjects of the study due to the presence of the school in that context seems to be restricted to reading, writing, and basic mathematical operations. The research presented here was developed in a non-urban context, difficult to access due to its location and lack of systematic transportation to the site. However, its accomplishment was facilitated by the application of the Ecological Insertion methodology based mainly on the interaction of the research team with the researched community. In this sense, the ecological insertion realized in the community endorsed the ecological validity of this research.

Keywords

Ecological insertion Context School 

References

  1. Brito, R. C., & Koller, S. H. (1999). Desenvolvimento humano e redes de apoio social e afetivo. In A. M. Carvalho (Ed.), O mundo social da criança: Natureza e cultura em ação (pp. 115–129). São Paulo: Casa do Psicólogo.Google Scholar
  2. Bronfenbrenner, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: Experiências naturais e planejadas (M. A. Veronese, Trans.). Porto Alegre: Artes Médicas. (Original publicado em 1976).Google Scholar
  3. Bronfenbrenner, U., & Morris, P. (1998). The ecology of developmental processes. In W. Damon (Ed.), Handbook of child psychology (pp. 993–1027). New York, NY: John Wiley & Sons.Google Scholar
  4. Cecconello, A. M. (2003). Resiliência e vulnerabilidade em famílias em situação de risco. Tese de Doutorado Inédita, Curso de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.Google Scholar
  5. Cecconello, A. M., & Koller, S. H. (2003). Inserção ecológica na comunidade: Uma proposta metodológica para o estudo de famílias em situação de risco. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(3), 515–524.Google Scholar
  6. Corsaro, W. A. (1985). Friendship and peer culture in the early years. Ethos, 11, 221–231.Google Scholar
  7. Corsaro, W. A. (2011). Sociologia da infância. São Paulo: Artmed.Google Scholar
  8. dos Reis, D. C. (2007). Cultura da brincadeira em uma comunidade ribeirinha na ilha do Marajó. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia: Teoria e Pesquisa do Comportamento: UFPA.Google Scholar
  9. Davis, C., & Gatti, B. A. (1993). A dinâmica da sala de aula na escola rural. In M. N. Damasceno (Ed.), Educação e escola no campo (pp. 75–87). Campinas: Papirus.Google Scholar
  10. De Antoni, C. (2005). Coesão e hierarquia em famílias com história de abuso físico. Tese de Doutorado Inédita, Curso de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.Google Scholar
  11. De Antoni, C., & Koller, S. H. (2000). A visão de família entre adolescentes que sofreram violência intrafamiliar. Estudos de Psicologia, 5, 347–381.CrossRefGoogle Scholar
  12. De Antoni, C., & Koller, S. (2001). O psicólogo ecológico no contexto institucional: Uma experiência com meninas vítimas de violência. Psicologia Ciência e Profissão, 21, 14–29.CrossRefGoogle Scholar
  13. Koller, S. (1994). Julgamento moral pró-social de meninos e meninas de rua. Tese de Doutorado Inédita, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.Google Scholar
  14. Lisboa, C., & Koller, S. (2004). O microssistema escolar e os processos proximais: exemplos de investigações científicas e intervenções praticas. In S. H. Koller (Ed.), Ecologia do desenvolvimento humano: pesquisa e intervenção no Brasil (pp. 267–291). São Paulo: Casa do Psicólogo.Google Scholar
  15. Lisboa, C. (2005). Comportamento agressivo e vitimização nas relações de amizade de crianças em idade escolar: fatores de risco e proteção. Unpublished doctoral dissertation. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.Google Scholar
  16. Lüdke, M., & André, M. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.Google Scholar
  17. Morais, N. A. (2005). Saúde e doença em crianças e adolescentes em situação de rua: Concepções e experiência. Dissertação de Mestrado Inédita, Curso de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.Google Scholar
  18. Mendes, L. S. A. (2008). A escola enquanto contexto de desenvolvimento: um estudo ecológico em uma comunidade ribeirinha na ilha do Marajó. Unpublished doctoral dissertation. Universidade Federal do Pará.Google Scholar
  19. Neiva-Silva, L. (2003). Expectativas futuras de adolescentes em situação de rua: Um estudo autofotográfico. Dissertação de Mestrado Inédita, Curso de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.Google Scholar
  20. Prati, L. E., de Paula Couto, M. C. P., Moura, A., Poletto, M., & Koller, S. H. (2008). Revisando a inserção ecológica: Uma proposta de sistematização. Psicologia: Reflexão e Crítica, 21, 160–169.Google Scholar
  21. Sacristán, G., & Goméz, A. I. (2000). As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed.Google Scholar
  22. Silva, S. C. (2006a). Estrutura e dinâmica das relações familiares de uma comunidade ribeirinha da região amazônica. Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília.Google Scholar
  23. Silva, S. D. B. (2006b). Diferença de gênero na interação entre irmãos em uma comunidade ribeirinha amazônica. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia: Teoria e Pesquisa do Comportamento: UFPA.Google Scholar
  24. Tudge, J. (2001). Estudando a criança e a família em seu contexto: Para uma abordagem cultural da tolerância. In Z. M. M. Biasoli–Alves & R. Fischmann (Eds.), Crianças e adolescentes, construindo uma cultura da tolerância (pp. 65–79). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.Google Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Leila Said Assef Mendes
    • 1
  • Fernando Augusto Ramos Pontes
    • 1
  1. 1.Universidade Federal do ParáBelémBrazil

Personalised recommendations