Advertisement

Ecological Engagement: Systematic Review on the Use of the Research Method

  • Vinicius Coscioni
  • Hivana Raelcia Rosa da Fonseca
  • Sílvia Helena Koller
Chapter

Abstract

This chapter aims to present the results of a systematic review of literature that sought to characterize the researches that stated the use of the Ecological Engagement (EE) regarding its bibliometric and theoretical–methodological aspects. For the search, the term “Ecological Engagement” was used in five databases (SciELO, LILACS, PePSIC, Index Psi, and Redalyc). The final corpus consisted of 46 papers, of which 39 were reports of empirical research, 5 reports of experience, and 2 reviews of the literature. The extracted data were integrated and analyzed qualitatively and quantitatively. Empirical research reports were classified into three groups: (I) papers that stated the use of EE, but did not describe the care to ensure an ecological collection environment; (II) papers describing the ecological environment of data collection, but did not use the Bioecological Theory of Human Development (BTHD) to interpret their results; and (III) papers that described the ecological procedures of data collection and that used the BTHD in the interpretation of the results. EE as a research method can contribute to the advance of knowledge about development processes in several areas. Methodological rigor must be translated both in the research procedures and in the description of such procedures; in this sense the seven criteria that support this research method are still discussed. This favors not only a better understanding of the research results but also the contextualization of the findings in the whole bioecological and sociocultural scenario in which it is designed.

Keywords

Bioecological theory of human development Research method 

References

  1. Acosta, M. E. B., Amaya, J. G. D., & Koller, S. H. (2013). Una respuesta institucional colombiana a niños/as que viven con VIH/SIDA. Ciência & Saúde Coletiva, 18, 507–516.CrossRefGoogle Scholar
  2. Afonso, T., Silva, S. S. C., Pontes, F. A. R., & Koller, S. H. (2015). O uso do diário de campo na inserção ecológica em uma família de uma comunidade ribeirinha amazônica. Psicologia & Sociedade, 27(1), 131–141.CrossRefGoogle Scholar
  3. Albuquerque, B. M. D., Garcia, N. M., & Yunes, M. A. M. (2012). Um estudo sobre percepções de profissionais de um serviço de atendimento às vítimas de violência e exploração sexual. Aletheia, 37, 73–90.Google Scholar
  4. Andrade, A. G. S., & Morais, N. A. (2017). Avaliação do Atendimento Recebido no CRAS por Famílias Usuárias. Psicologia: Ciência e Profissão, 37(2), 378–392.Google Scholar
  5. Brito, C. O. D., Rosa, E. M., & Trindade, Z. A. (2014). O processo de reinserção familiar sob a ótica das equipes técnicas das instituições de acolhimento. Temas em Psicologia, 22(2), 401–413.CrossRefGoogle Scholar
  6. Bronfenbrenner, U. (1979). The ecology of human development: Experiments by nature and design. Cambridge, MA: Harvard University Press.Google Scholar
  7. Bronfenbrenner, U., & Morris, P. A. (2006). The bioecological model of human development. In W. Damon & R. M. Lerner (Eds.), Handbook of child psychology: Theoretical models of human development (pp. 793–828). New York, NY: Wiley.Google Scholar
  8. Cardoso, A. O. G., & Becker, M. A. D. A. (2014). Identificando adolescentes em situação de rua com potencial para altas habilidades/superdotação. Revista Brasileira de Educação Especial, 20(4), 605–614.CrossRefGoogle Scholar
  9. Cecconello, A. M., & Koller, S. H. (2003). Inserção ecológica na comunidade: Uma proposta metodológica para o estudo de famílias em situação de risco. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(3), 515–524.Google Scholar
  10. Cerqueira-Santos, E., DeSousa, D. A., Melo Neto, O. C., & Rocha, A. C. (2012). Sexualidade do trabalhador da construção civil: Percepções sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes. Psicologia: Reflexão e Crítica, 25(3).Google Scholar
  11. Cerqueira-Santos, E., Koller, S. H., Pilz, C., Dias, D. D., & Wagner, F. (2006). Concepções de policiais sobre crianças em situação de rua: Um estudo sobre preconceito. Psico USF, 11(2), 249–256.CrossRefGoogle Scholar
  12. Cerqueira-Santos, E., Morais, N. A., Moura, A. S., & Koller, S. H. (2008). Exploração sexual de crianças e adolescentes: Uma análise comparativa entre caminhoneiros clientes e não-clientes do comércio sexual. Psicologia: Reflexão e crítica, 21(3).Google Scholar
  13. Coscioni, V., Nascimento, D. B., Rosa, E. M., & Koller, S. H. (2018). Pressupostos teórico-metodológicos da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano: Uma pesquisa com adolescentes em medida socioeducativa. Psicologia USP, 29(3), 363–373.  https://doi.org/10.1590/0103-656420170115CrossRefGoogle Scholar
  14. De Antoni, C., Barone, L. R., & Koller, S. H. (2007). Indicadores de risco e de proteção em famílias fisicamente abusivas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 23(2), 125–132.Google Scholar
  15. Dutra-Thomé, L., Cerqueira-Santos, E., & Koller, S. H. (2011). Exploração sexual e trabalho na adolescência: Um estudo de caso. Universitas Psychologica, 10(3), 881.CrossRefGoogle Scholar
  16. Eschiletti-Prati, L. E., Couto, M. C. P. P., Moura, A., Poletto, M., & Koller, S. H. (2008). Revisando a inserção ecológica: Uma proposta de sistematização. Psicologia: Reflexão e Crítica, 21(1), 160–169.Google Scholar
  17. Faciola, R. A., Pontes, F. A. R., & Silva, S. S. D. C. (2012). Um estudo bioecológico das relações de amizade em sala de aula inclusiva. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 12(1), 76–92.CrossRefGoogle Scholar
  18. Feijó, A. M., Schwartz, E., Muniz, R. M., Santos, B. P. D., Viegas, A. D. C., & Lima, L. M. D. (2012). As inter-relações da rede social do homem com câncer na perspectiva bioecológica: Contribuições para a enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, 21(4), 783–791.CrossRefGoogle Scholar
  19. Fernandes, A. D. S. A., & Matsukura, T. S. (2016). Adolescentes inseridos em um CAPSi: Alcances e limites deste dispositivo na saúde mental infantojuvenil. Temas em Psicologia, 24(3), 977–990.CrossRefGoogle Scholar
  20. Freire, V. R. B. P., Silva, S. S. C., & Pontes, F. A. R. (2012). Coesão e hierarquia parental na percepção de ribeirinhos beneficiários do Programa Bolsa Família. Interamerican Journal of Psychology, 46(3).Google Scholar
  21. Garcia, N. M., Yunes, M. A. M., & Almeida, A. M. T. (2016). Educação parental e pedagogia social: Avaliação de uma proposta de intervenção. Educação, 39(1), 94–104.CrossRefGoogle Scholar
  22. Garcia, N. M., Yunes, M. A. M., Chaves, P. F., & Santos, L. O. D. (2007). Educando meninos e meninas: Transmissão geracional da pesca artesanal no ambiente familiar. Psicologia da Educação, 25, 93–112.Google Scholar
  23. Iriart, M. F. S., & Bastos, A. C. S. (2007). Uma análise semiótico-sistêmica de diferentes ecologias desenvolvimentais da juventude. Psicologia em Estudo, 12(2), 239.CrossRefGoogle Scholar
  24. Martellet, E. C., & Siqueira, A. C. (2014). Apego e adolescência institucionalizada: Estudo de caso. Psicologia Argumento, 32(77), 63–73.Google Scholar
  25. Marzol, R. M., Bonafé, L., & Yunes, M. A. M. (2012). As perspectivas de crianças e adolescentes em situação de acolhimento sobre os cuidadores protetores. Psico, 43(3), 317–324.Google Scholar
  26. Mendes, L. S. A., Pontes, F. A. R., Silva, S. S. C., Bucher-Maluschke, J. S., Reis, D. C., & Silva, S. D. B. (2008). Inserção ecológica no contexto de uma comunidade ribeirinha amazônica. Interamerican Journal of Psychology, 42(1), 1–10.Google Scholar
  27. Merçon-Vargas, E. A., Rosa, E. M., & Dell’Aglio, D. D. (2014). Adoção nacional e internacional: Significados, motivações e processos de habilitação. Revista da SPAGESP, 15(2), 12–26.Google Scholar
  28. Morais, N. A., Koller, S., & Raffaelli, M. (2012). Rede de apoio, eventos estressores e mau ajustamento na vida de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Universitas Psychologica, 11(3), 779–771.Google Scholar
  29. Morais, N. A., Koller, S. H., & Raffaelli, M. (2010). Eventos estressores e indicadores de ajustamento entre adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Brasil. Universitas Psychologica, 9(3), 787–806.CrossRefGoogle Scholar
  30. Morais, N. A., Morais, C. A., Reis, S., & Koller, S. H. (2010). Promoção de saúde e adolescência: Um exemplo de intervenção com adolescentes em situação de rua. Psicologia & Sociedade, 22(3), 507.CrossRefGoogle Scholar
  31. Morais, N. A., Raffaelli, M., & Koller, S. H. (2012). Adolescentes em situação de vulnerabilidade social e o continuum risco-proteção. Avances en Psicología Latinoamericana, 30(1).Google Scholar
  32. Pereira-Llano, P. M., Santos, F., Rodrigues, M. C. T., Lemões, M. A. M., Lange, C., & Santos, S. S. C. (2016). A família no cuidado ao idoso após o acidente por quedas. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental, 8(3), 4717–4724.Google Scholar
  33. Porciuncula, A. D. S., & Porto, I. (2014). Envelhecimento, meio ambiente e educação ambiental. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, 19(2), 453–470.Google Scholar
  34. Porto, I., & Koller, S. H. (2006). Violência na família contra pessoas idosas. Interações, 90(22).Google Scholar
  35. Rosa, E. M., Nascimento, C. R. R., Matos, J. R., & Santos, J. R. D. (2012). O processo de desligamento de adolescentes em acolhimento institucional. Estudos de Psicologia (Natal), 17(3), 361–368.CrossRefGoogle Scholar
  36. Rosa, E. M., Santos, A. P. D., Melo, C. R. D. S., & Souza, M. R. D. (2010). Contextos ecológicos em uma instituição de acolhimento para crianças. Estudos de Psicologia, 15(3), 233–241.CrossRefGoogle Scholar
  37. Rosa, E. M., & Tudge, J. (2013). Urie Bronfenbrenner’s theory of human development: Its evolution from ecology to bioecology. Journal of Family Theory & Review, 5(4), 243–258.CrossRefGoogle Scholar
  38. Sacco, A. M., Ferreira, C. M. S., & Koller, S. H. (2016). “Se não bater, não aprende”: Educação e direitos da criança e do adolescente em Angola. Educação, 39(1), 11–21.CrossRefGoogle Scholar
  39. Santana, J. P., Doninelli, T. M., Frosi, R. V., & Koller, S. H. (2005). É fácil tirar uma criança da rua, o difícil é tirar a rua da criança. Psicologia em estudo, 10(2), 165–174.CrossRefGoogle Scholar
  40. Schein, S., & Boeckel, M. G. (2012). Análise da sobrecarga familiar no cuidado de um membro com transtorno mental. Saúde & Transformação Social, 3(2).Google Scholar
  41. Silveira, S. D. B. A. B. D., Garcia, N. M., Pietro, A. T., & Yunes, M. A. M. (2009). Inserção ecológica: metodologia para pesquisar risco e intervir com proteção. Psicologia da Educação, 29(2), 57–74.Google Scholar
  42. Silveira, S. B. A. B., & Yunes, M. A. M. (2010). Interações do ambiente judiciário e famílias pobres: Risco ou proteção às relações familiares? Psicologia em Revista, 16(1), 180–198.CrossRefGoogle Scholar
  43. Siqueira, A. C., & Dell’Aglio, D. D. (2007). Retornando para a família de origem: Fatores de risco e proteção no processo de reinserção de uma adolescente institucionalizada. Journal of Human Growth and Development, 17(3), 134–146.CrossRefGoogle Scholar
  44. Siqueira, A. C., Massignan, L. T., & Dell’Aglio, D. D. (2011). Reinserção familiar de adolescentes: Processos malsucedidos. Paidéia, 21(50), 383–391.CrossRefGoogle Scholar
  45. Souza, A. P. L. D., Dutra-Thomé, L., Dei Schiró, E. D. B., Morais, C. D. A., & Koller, S. H. (2011). Criando contextos ecológicos de desenvolvimento e direitos humanos para adolescentes. Paidéia, 21(49), 273–278.CrossRefGoogle Scholar
  46. Tudge, J. (2008). A teoria de Urie Bronfenbrenner: Uma teoria contextualista? In L. Moreira & A. M. A. Carvalho (Eds.), Família e educação: Olhares da psicologia (pp. 211–231). São Paulo, SP: Paulinas.Google Scholar
  47. Vasconcelos, Q. A., Yunes, M. A. M., & Garcia, N. M. (2009). Um estudo ecológico sobre as interações da família com o abrigo. Paidéia, 19(43), 221.CrossRefGoogle Scholar
  48. Vega, L. B. D. S., & Paludo, S. D. S. (2015). Exploração sexual e rede de proteção na perspectiva da vítima. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 67(2), 47–60.Google Scholar
  49. Zillmer, J. G. V., Schwartz, E., & Muniz, R. M. (2012). O olhar da enfermagem sobre as práticas de cuidado de famílias rurais à pessoa com câncer. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(6), 1371–1378.CrossRefGoogle Scholar
  50. Zillmer, J. G. V., Schwartz, E., Muniz, R. M., & Meincke, S. M. K. N. (2011). Modelo bioecológico de Urie Bronfenbrenner e inserção ecológica: Uma metodologia para investigar famílias rurais. Texto & Contexto—Enfermagem, 20(4), 669.CrossRefGoogle Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Vinicius Coscioni
    • 1
    • 2
  • Hivana Raelcia Rosa da Fonseca
    • 3
  • Sílvia Helena Koller
    • 1
    • 4
  1. 1.Universidade Federal do Rio Grande do SulPorto AlegreBrazil
  2. 2.Universidade de CoimbraCoimbraPortugal
  3. 3.Universidade Federal do PiauíTeresinaBrazil
  4. 4.North-West UniversityVanderbijlparkSouth Africa

Personalised recommendations