Advertisement

Social Representations of Poverty

  • Aline Accorssi
  • Helena Scarparo
Chapter

Abstract

The authors aim to analyze the social representations of poverty and its psychosocial impacts on people in this situation. Thus, a qualitative research developed with women linked to different programs to combat poverty at the state level and linked to the third sector is presented. The prism of analysis of these discourses is the theory of social representations. It was identified that there is a strong situation of socioeconomic deprivation, but there is also the power of decision of these women on the ways to choose some forms of deprivation. Equally, there was a process of blaming people in poverty. In addition, they were identified as poverty linked to socioeconomic and moral issues.

Keywords

Social representation Poverty Socioecomic deprivation Gender Stigma 

References

  1. Abric, J. C. (1994). Les représentations sociales: aspects théoriques. In A. Jean-Claude (dir.), Pratiques sociales et représentations. Paris: Puf.Google Scholar
  2. Accorssi, A. (2011). Materializações do pensamento social da pobreza. Tese (Doutoramento). Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Orientação: Helena Scarparo e Pedrinho Arcides Guareschi.Google Scholar
  3. Accorssi, A., Scarparo, H., & Guareschi, P. (2012). O conceito de pobreza: Uma reflexão sobre os interesses do conhecimento. Psicologia Argumento, Curitiba, 30(71), 651–658, out./dez. 2012.Google Scholar
  4. Aguilar, P. L. R. (2011). La feminización de la pobreza: conceptualizaciones actuales y potencialidades analíticas. Katál. Florianópolis, 14(1), 126–133, jan./jun.CrossRefGoogle Scholar
  5. Baptista, I., Perista, H., & Reis, A. L. (1995). A pobreza no Porto: representações sociais e práticas institucionais. Sociologia: problemas e práticas, (17), 35–60.Google Scholar
  6. Barthes, R. (2006). Elementos de Semiologia. São Paulo, Brazil: Cultrix.Google Scholar
  7. Carmadelo, A. M. (2009). A significação da pobreza a partir dos sujeitos que a vivenciam. Tese (Doutoramento em Serviço Social). Fac. de Serviço Social, PUCRS. Orientador: Carlos Nelson dos Reis.Google Scholar
  8. Carvalho, A. P. (2010). Olhando a realidade, olhando o outro: representações sociais da pobreza e do usuário entre os profissionais da assistência social. Dissertação (Mestrado em Política Social). Orientador: Izildo Corrêa Leite. Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas.Google Scholar
  9. Castel, R. (2001). As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário (3a ed.). Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  10. Duveen, G. (2003). Introdução: o poder das ideias. In S. Moscovici (Ed.), Representações sociais: Investigações em Psicologia Social. Petrópolis: Vozes.Google Scholar
  11. Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, Brazil: Paz e Terra.Google Scholar
  12. Fromm, E. (1967). Conceito marxista do homem. Rio de Janeiro, Brazil: Zahar Editores.Google Scholar
  13. Godelier, M. (1984). L'idéel et le matériel: pensée, économies, sociétés. Paris: Fayard.Google Scholar
  14. Góis, A. C., & Daniel, F. (2008). Representações Sociais da Pobreza e das Medidas de Política Social: Um Estudo no Concelho de Anadia. Interacções, (15), 53–68.Google Scholar
  15. Guareschi, P. A. (1992). A categoria “Excluídos”. Psicologia: Ciência e Profissão, 12(3–4), 4–11. Retrieved from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931992000300002&lng=en&nrm=isoGoogle Scholar
  16. Guareschi, P. (2010). Representações sociais, mídia e movimentos sociais. In P. Guareschi, A. Hernandez, & M. Cárdenas (Eds.), Representações sociais em movimento: psicologia do ativismo político. Porto Alegre: EDIPUCRS.Google Scholar
  17. IPEA. (2013). Duas décadas de desigualdade e pobreza no Brasil medidas pela Pnad/IBGE. Comunicados do IPEA. Retrieved from http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/131001_comunicadoipea159.pdf
  18. Jodelet, D. (2006). Place de l'expérience vécue dans les processus de formation des représentations sociales. In V. Haas (Ed.), Les savoirs du quotidien: transmissions, appropriations, représentations. Rennes, France: Pur.Google Scholar
  19. Jodelet, D. (2007). Représentations sociales: un domaine en expansion. In D. Jodelet (dir.), Les représentation sociales. Paris: Puf.Google Scholar
  20. Jovchelovitch, S. (2008). Os Contextos do saber: representações, comunidade e cultura. Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  21. Jovchelovitch, S., & Bauer, M. (2002). Entrevista Narrativa. In M. Bauer & G. Gaskell (Eds.), Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  22. Leite, I. C. (2008). Novos olhares, novos lugares: por uma política social de combate à pobreza condizente com a construção da cidadania. Convergência, 15(47), 73–100.Google Scholar
  23. Maciel, F., & Grillo, A. (2009). O trabalho que (in)dignifica o homem. In J. Souza (Org.), A Ralé Brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte, Brazil: Editora UFMG.Google Scholar
  24. Marková, I. (2006). Dialogicidade e representações sociais: as dinâmicas da mente. Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  25. Marx, K. (1967). Manuscritos econômicos e filosóficos. In E. Fromm (Ed.), Conceito Marxista do Homem. Rio de Janeiro, Brazil: Zahar Editores.Google Scholar
  26. Moscovici, S. (2003). Representações sociais. Investigações em psicologia social. Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  27. Paugam, S. (2003). Desqualificação social: Ensaio sobre a nova pobreza. São Paulo, Brazil: Educ/Cortez.Google Scholar
  28. Rocha, S. (2008). Pobreza no Brasil. Afinal, de que se trata? Rio de Janeiro, Brazil: FGV.Google Scholar
  29. Romão, J. E. (2006). Círculo epistemológico círculo de cultura como metodologia de pesquisa. Revista Educação & Sociedade. No 13. Universidade Metodista de São Paulo.Google Scholar
  30. Rubì, M. E. O. (2003). Studio della povertà in Messico. Rappresentazioni sociali e credenze. In I. Galli (Org.), Le dimensioni psicosociali della povertà: un'analisi cross-culturale. Napoli: Edizioni Scientifiche Italiane.Google Scholar
  31. Salama, P., & Destremau, B. (1999). Economia política da distribuição de renda. O tamanho da pobreza. Rio de Janeiro: Garamond.Google Scholar
  32. Sawaia, B. (1999). O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In B. Sawaia (Org.), As artimanhas da exclusão: Análise psicossocial e ética da desigualdade social (pp. 67–86). Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  33. Schwartz, R. (2000). Um mestre na periferia do capitalismo. São Paulo, Brazil: Duas Cidades.Google Scholar
  34. Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo, Brazil: Companhia das Letras.Google Scholar
  35. Silva, R. D. M., & Souza, L. (2010). A produção acadêmica brasileira acerca da pobreza na perspectiva da teoria das representações sociais. Mental, VIII(14), 29–48, Barbacena, jan.-jun. 2010.Google Scholar
  36. Simmel, G. (2009). Le pauvre. Paris: Éditions Allia.Google Scholar
  37. Stotz, E. (2005). Pobreza e capitalismo. In V. V. Valla, E. N. Stotz, & E. B. Algebaile (Orgs.), Para compreender a pobreza no Brasil. Rio de Janeiro, Brazil: Contraponto.Google Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Aline Accorssi
    • 1
  • Helena Scarparo
    • 2
  1. 1.Universidade Federal de PelotasPelotasBrazil
  2. 2.Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do SulPorto AlegreBrazil

Personalised recommendations