Advertisement

Psychology, Mental Health, and Primary Care

  • Magda Dimenstein
Chapter

Abstract

This chapter aims to present the main contributions coming from a professional and academic path, located in the interface between Psychology and Public Health, focused on the discussion and intervention in the field of Mental Health in Primary Care. In this sense, these contributions are evidenced around two axes: (1) Professional training, focusing on aspects of epistemological and methodological order; (2) Insertion and performance in Public Health Policies, particularly in the Psychosocial Care Network, in the scenario of deinstitutionalization and anti-asylum movement. It highlights in the first axis the problematic points of the formation and professional culture of the psychologists and the necessity of a paradigmatic change in line with the conceptual and operational marks placed by the Primary Attention in world-wide level that generated a new agenda in terms of doing and managing work in mental health. The second axis emphasizes the affective adhesions instituted and the mode of action of the various “psi” technologies of subjectivation, its regulatory and control mechanisms, which make it difficult to formulate an ethical–political commitment with the production of a universal health system, associated with the idea of citizenship, as well as the construction of participatory, inclusive, and collaborative action/intervention strategies toward the integrality and territoriality of mental health care.

Keywords

Psychology Public health Mental health Primary health care 

References

  1. A.N. Andrade, M.C.C. Lavrador, Configuração loucura: poderes, saberes e fazeres. in Psicologia e Saúde: desafios às políticas públicas no Brasil, ed. by E.M. Rosa et al. (EDUFES, Vitória, 2007, pp. 111–130Google Scholar
  2. J.R.C.M. Ayres, Sujeito, intersubjetividade e práticas de saúde. Ciência e Saúde Coletiva 6(1), 63–72 (2001)CrossRefGoogle Scholar
  3. F. Basaglia, Psiquiatria Alternativa: contra o pessimismo da razão, o otimismo da prática (Ed. Brasil Debates, São Paulo, 1979)Google Scholar
  4. F. Basaglia, A Instituição negada (Graal, Rio de Janeiro, 1985)Google Scholar
  5. P.M. Bedran, Produção na Universidade: diário de uma micropolítica (PUC Minas, Belo Horizonte, 2003)Google Scholar
  6. A.G. Bernardes, Psicologia e o sistema indivíduo de saúde, in Psicologia, Formação, Políticas e Produção em Saúde, ed. by N.M.F. Guareschi et al. (EDIPUCRS, Porto Alegre, 2010), pp. 206–220Google Scholar
  7. R.B. Ceccim, Residências em Saúde: as muitas faces de uma especialização em área profissional integrada ao SUS, in Residências em Saúde. Fazeres e saberes na formação em saúde. Brasil. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição (GHC), ed. by A.P. Fajardo, C.M.F. Rocha, V.L. Pasini (Hospital Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre, 2011), pp. 17–22Google Scholar
  8. M. Chauí, Desejo, Paixão e Ação na Ética de Espinosa (Companhia das Letras, São Paulo, 2011)Google Scholar
  9. M.C.B. Coimbra, Práticas de estranhamento, indignação e resistência. Psicol. USP 22(3), 579–586 (2011)CrossRefGoogle Scholar
  10. Conselho Federal de Psicologia, I Fórum Nacional de Psicologia e Saúde Pública: contribuições técnicas e políticas para avançar o SUS. Brasília – DF (2006)Google Scholar
  11. G. Deleuze, F. Guattari, O anti-Édipo: Capitalismo e esquizofrenia (Editora, São Paulo, 2010), p. 34Google Scholar
  12. P.G. Delgado, As razões da tutela: psiquiatria, justiça e cidadania do louco no Brasil (Te-Corá, Rio de Janeiro, 1992)Google Scholar
  13. M. Dimenstein, A Psicologia no Campo da Saúde Mental, in Psicologia e Políticas Sociais: temas em debate, 1st edn., ed. by I.F. Oliveira, O. Yamamoto (UFPA, Belém, 2014), pp. 75–126Google Scholar
  14. M. Dimenstein, J.P. Macedo, Formação em Psicologia: requisitos para atuação na atenção primária e psicossocial. Psicologia: Ciência e Profissão 32(spe), 232–245 (2012).  https://doi.org/10.1590/S1414-98932012000500017CrossRefGoogle Scholar
  15. M. Dimenstein, J.P. Macedo, J.F. Leite, M.A.F. Gomes, Psicologia, políticas públicas e práticas sociais: experiências em pesquisas participativas. Pesquisas e Práticas Psicossociais 10(1), 24–36 (2015)Google Scholar
  16. M. Dimenstein, J. F. Leite, J. P. Macedo, C. Dantas (eds.), Condições de vida e saúde mental em contextos rurais, 1st edn. (Intermeios, São Paulo, 2016)Google Scholar
  17. M.C.F. Ferraz, Nietzsche e a Cultura Somática Contemporânea: considerações extemporâneas, in Nietzsche e as Ciências, ed. by M.A. Barrenechea (7 Letras, Rio de Janeiro, 2011), pp. 86–96Google Scholar
  18. J.L. Ferreira Neto, Psicologia, Políticas Públicas e o SUS, São Paulo: Escuta (FAPEMIG, Belo Horizonte, 2011)Google Scholar
  19. J.L. Ferreira Neto, L. Kind, Promoção da Saúde. Práticas grupais na Estratégia Saúde da Família (FAPEMIG/HUCITEC, Belo Horizonte/São Paulo, 2011)Google Scholar
  20. T.M.G. Fonseca, A.R. Thomazoni, L.A. Costa, V.L.I. de Souza, V.d.S. Lockmann, Microfascismos em nós: práticas de exceção no contemporâneo. Psicologia Clínica 20(2), 31–45 (2008).  https://doi.org/10.1590/S0103-56652008000200003CrossRefGoogle Scholar
  21. M. Foucault, Vigiar e punir: nascimento da prisão (Vozes, Petrópolis, 1987)Google Scholar
  22. M. Foucault, Microfísica do Poder (Graal, Rio de Janeiro, 1989)Google Scholar
  23. M. Foucault, Em defesa de uma sociedade (Martins Fontes, São Paulo, 1999)Google Scholar
  24. M. Foucault, Ética, Sexualidade e Política (Forense Universitária, Rio de Janeiro, 2004)Google Scholar
  25. L. Fuganti, Saúde, Desejo e Pensamento (Aderaldo e Rothschild ED: Linha de Fuga, São Paulo, 2008)Google Scholar
  26. O. Giacóia Jr., O último homem e a técnica moderna. Nat. Hum. 1(1), 33–52 (1999)Google Scholar
  27. O. Giacóia Jr., Nietzsche como Psicólogo (Editora Unisinos, São Leopoldo, 2001)Google Scholar
  28. M.A.F. Gomes, M. Dimenstein, Pesquisa Qualitativa em Psicologia e Saúde Coletiva: Experimentações com o Recurso Fotográfico. Psicologia: Ciência e Profissão 34(4), 804–820 (2014).  https://doi.org/10.1590/1982-370001422013CrossRefGoogle Scholar
  29. B. Hillesbeim, L.R. Cruz, V.E.C. Somavilla, Deslizamentos: programa/estratégia saúde da família, in Psicologia, Formação, Políticas e Produção em Saúde, ed. by N.M.F. Guareschi et al. (EDIPUCRS, Porto Alegre, 2010), pp. 243–253Google Scholar
  30. S.M. Huning, N.M.F. Guareschi, Efeito Foucault: desacomodar a psicologia, in Foucault e a Psicologia, ed. by N.M.F. Guareschi, S.M. Huning (EDIPUCRS, Porto Alegre, 2009), pp. 159–182Google Scholar
  31. J. F. Leite, M. Dimenstein (eds.), Psicologia e Contextos Rurais, 1st edn. (EDUFRN, Natal, 2013)Google Scholar
  32. M. Lougon, Desinstitucionalização da assistência psiquiátrica: uma perspectiva crítica. Rev. Saúde Coletiva 3(2), 137–164 (1993)CrossRefGoogle Scholar
  33. V. Mosé, Nietzsche e a grande política da linguagem (Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2005)Google Scholar
  34. H.C. Nardi, R. N. Silva, Ética e Subjetivação: as técnicas de si e os jogos de verdade contemporâneos. In Foucault e a Psicologia, ed by N.M.F. Guareschi, S. M. Huning (EDIPUCRS, Porto Alegre, 2009), pp. 143–158Google Scholar
  35. A.R. Nascimento, O que é a psicologia para Nietzsche? (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2006Google Scholar
  36. F. Nietzsche, O Nascimento da Tragédia (Companhia das Letras, São Paulo, 1871)Google Scholar
  37. F. Nietzsche, Fragmentos póstumos, (vol IV:1885–1889. Madrid: Tecnos.Google Scholar
  38. Nietzsche, F. (2006). Fragmentos póstumos. (vol. IV: 1885–1889). Madrid: Tecnos.Google Scholar
  39. J.S. Paim, N. Almeida Filho, A crise da saúde pública e a utopia da saúde coletiva (Casa da Saúde, Salvador, 2000)Google Scholar
  40. P.P. Pelbart, Da clausura do fora ao fora da clausura: loucura e desrazão (Brasiliense, São Paulo, 1989)Google Scholar
  41. S. Rolnik, Cartografia Sentimental - Transformações Contemporâneas do Desejo (Estação Liberdade, São Paulo, 1989)Google Scholar
  42. F. Rotelli, O Trabalho de Saúde Mental no Território, in Saúde Mental e Cidadania no Contexto dos Sistemas Locais de Saúde, ed. by E. Kalil (HUCITEC, São Paulo, 1992), pp. 75–80Google Scholar
  43. F. Rotelli, O. de Leornadis, D. Mauri, C. de Riso, Desinstitucionalização: uma outra via (HUCITEC, São Paulo, 1990)Google Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Magda Dimenstein
    • 1
  1. 1.Federal University of Rio Grande do NorteNatalBrazil

Personalised recommendations